Arquivos do Blog

blânte ou paipe?

sacrifício matinal?

sendo a palavra mágica, o que importa é como a bendita é dita.
o sumo da palavra é o som que provoca; para ser mágica, abra-
com a dabra. se é que você me entende. como se a escrita depen-
desse de uma língua. e como pilotar sua própria cabeça, se não
cobrir a língua com o líquido e a fumaça certas? bombas, vírus,
falácias midiáticas nos atolando. encobrir-nos com carvalhos,
sair batendo em tudo que não se conhece? a informação vai chegar.

          definitivamente, me roubaram você, meu amor não pôde desenvolver,
          por pecado presumido, por conduta reprovável, por caos reinante;
          não sei a quem agradecer por ter a consciência que tenho agora.
          não é necessário agradecer pela consciência que se tem, nem mérito é.
          quiçá seja nossa evolução, e seja afinal, inevitável que surja.
          na dobradiça do tempo quimera, no espaço porto de infinitas desi-
          lusões, que seja nossa catástrofe inevitável acordar a nossa cons-

ciência, de abrir os olhos e enxergar, de abrir a boca e sorver.
querido século, não te revia a tempos. és vaga esperança de reen-
contro, desencontro tuas medidas a cada segundo, perco-te como
referência absoluta, te renego em instantes-máquina; vejo-te sem
reconhecer meu próprio rosto-espelho; quimera, quisera, outrora;
espaço-corpo e espaço-tempo tentam usurpar minha vã prática jardi-
nesca. nacos de cheiros, flores sem fim ao redor do sem-fim.

10,06,2012

significando pra mim

menina do alarde: abre teu coração e

tuas pernas pra me receber! pensas

que me escolheste, mas a verdade

é que te escolhi pra ser minha.

 

quantos crimes bárbaros percorrer

para provar o prazer mais extremo?

quando o máximo permitido seria averiguar;

perfazer a liberdade chocante (de qualquer maneira).

 

a palavra em alemão traduzida: liberdade-que-choca-

de-qualquer-maneira, pois não há como ser

diferente; andar descalço em terreno pedregoso,

cuidar mais de si, quando a língua é estranha.

 

somente um crime fatal e bárbaro para

instigar o apocalipse completo? ou a dor

de consciência de alguns, já basta, pra

mim, somente uma grande alegria; me faria…

 

12/02/2011

Cartas para anos mortos

 

Essas poesias nasceram juntas, numa sequência que mais tarde eu encontraria(?) nas cartas do tarô.

Uma experiência marcante, reunidas numa edição especial que disponibilizo aqui.

 

Link para baixar (.pdf):

Cartas para anos mortos

 

Link para ler online:

Cartas para anos mortos (online)