Bukowski, Charles : the life of borodin

saudade

Bukowski, Charles:the life of borodin

[from Burning in Water Drowning in Flame:
Selected Poems 1955-1973 (1997), Black Sparrow Press]

the next time you listen to Borodin
remember he was just a chemist
who wrote music to relax;
his house was jammed with people:
students, artists, drunkards, bums,
and he never knew how to say: no.
the next time you listen to Borodin
remember his wife used his compositions
to line the cat boxes with
or to cover jars of sour milk;
she had asthma and insomnia
and fed him soft-boiled eggs
and when he wanted to cover his head
to shut out the sounds of the house
she only allowed him to use the sheet;
besides there was usually somebody
in his bed
(they slept separately when they slept
at all)
and since all the chairs
were usually taken
he often slept on the stairway
wrapped in an old shawl;
she told him when to cut his nails,
not to sing or whistle
or put too much lemon in his tea
or press it with a spoon;
Symphony #2, in B Minor
Prince Igor
On the Steppes of Central Asia
he could sleep only by putting a piece
of dark cloth over his eyes;
in 1887 he attended a dance
at the Medical Academy
dressed in a merrymaking national costume;
at last he seemed exceptionally gay
and when he fell to the floor,
they thought he was clowning.
the next time you listen to Borodin,
remember …

Tradução:

Da próxima vez que escutar Borodin
Lembre-se que ele era apenas um químico
que escreveu música para relaxar;
a casa era invadida pelas pessoas:
estudantes, artistas, bêbados, vagabundos,
e eles nunca sabiam como dizer: não.
a próxima vez que escutar Borodin
lembre que a esposa dele usou suas composições
para alinhar as caixas do gato
ou cobrir jarras de leite coalhado;
ela tinha asma e insônia
e alimentava-se com ovos mau cozidos
e quando ela queria cobrir a cabeça
para fechar-se aos sons da casa
só permitia-o usar um lençol fino;
sempre havia alguém perto
da cama
(eles dormiam separados, quando dormiam,
é tudo)
e desde então, em todas as cadeiras
que sentavam
ele dormia frequentemente na escada
enrolado num velho xale;
ela conversava enquanto cortava suas unhas,
não cantava ou jogava cartas
nem punha muito limão no chá
ou pressionava-o com uma colher;
Sinfonia #2, em B Menor
Príncipe Igor
Nas Estepes da Ásia Central
ele só conseguia dormir colocando um pedaço
de pano escuro sobre os olhos;
em 1887 uma dançarina lhe chamou a atenção
na Medical Academy
vestida numa fantasia regional de foliã;
ao menos deu-lhe a impressão de ser excepcionalmente alegre
e quando ele caiu ao solo,
pensaram que ele estava brincando.

Da próxima vez que escutar Borodin,
Lembre-se…

Traduzido por Hilam A na Grama

Anúncios

Sobre hilam

Ainda em processo de construção humana, mesmo com mais de 40 anos de idade...

Publicado em 22/08/2009, em Poesia e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: